TRE-MT realiza diplomação do Programa Voto Consciente

Em 2019, participaram do Voto Consciente as escolas Estaduais Liceu Cuiabano Maria de Arruda Müller, Júlio Strubing Müller, Leovegildo de Melo, Maria Leite Marcoski, José Magno

Alunos do Programa Voto Consciente 2019

O Tribunal Regional Eleitoral (TRE-MT) concluiu nesta quarta-feira (27.11) sua edição 2019 do Programa Voto Consciente, ação que envolveu cerca de 3,6 mil estudantes em seis escolas estaduais ao longo de todo o ano. Com o auditório da Casa da Democracia lotado, o partido de políticas públicas vencedor em cada escola do projeto foi diplomado pela Justiça Eleitoral.    

“É importante ensinar e debater a boa política para nossa juventude, despertar o pleno exercício da cidadania. Todos temos que ter a clareza de que a transformação de nossa sociedade sempre vem pela juventude. O Programa Voto Consciente foi premiado nacionalmente,  iniciado ainda em 2011. São realizadas eleições simuladas em cada uma das escolas participantes, onde os alunos se organizam em partidos, apresentam e cumprem propostas, são votados e, hoje, nós homologamos o resultado dessas eleições”, destacou o juiz membro do TRE Bruno D’Oliveira. 
 
O magistrado reforçou que o tribunal acompanha estes alunos ao longo de todo o ano, oferecendo palestras e suporte para desenvolverem suas campanhas. “Os alunos visitaram o TRE-MT, entenderam a história da Justiça Eleitoral no Brasil e da democracia. Visitaram o nosso depósito de urnas, realizaram treinamentos de mesários, de operação da urna eletrônica, entenderam toda a logística de uma eleição, os processos que envolvem o pós- eleição e, até mesmo, acompanharam uma sessão de julgamento. Este é um projeto que certamente pode transformar a vida destes jovens, de despertar sonhos e novos entendimentos sobre a nossa sociedade”. 
 
Para a aluna do terceiro ano do ensino médio, Emilli Dias, a experiência foi gratificante. “Meu grupo trabalhou muito bem. Nosso partido é o da educação e do meio ambiente e, certamente, saímos da nossa zona de conforto. Tenho a satisfação em ver que fizemos algo por nossa escola, que vamos deixar nossa marca. Uma de nossas ações foi a distribuição de mudas aos colegas, limpamos a escola e, ainda, plantamos alguns Ipês, uma árvore que não cresce muito rápido, então nos próximos anos, quando a gente for à escola, vamos lembrar que aquela bela árvore foi nós que plantamos”.
 
Opinião parecida com a da Karol Elias, aluna da Escola Maria Leite Marcoski. “No momento em que TRE foi até nossa escola eu já fiquei interessada. Sempre me envolvi muito com política, eu queria aprender, queria saber mais, para que lá na frente eu possa ter a real consciência do que eu vou escolher para minha vida. Aprendi que a gente tem que votar pelas propostas e não pelas pessoas, saber se isso vai beneficiar todos nós, a sociedade inteira, e não o lado individual. Vou levar essas lições para minha vida inteira,  para que eu possa sempre escolher um bom candidato”. 
 
Representando a Secretaria de Estado de Educação, Patrícia Carvalho, do núcleo de Projetos Educacionais, explicou que anualmente a pasta faz um levantamento sobre as escolas que ainda não participaram do projeto. “Entramos em contato com a escola para verificar se há interesse em participar, porém qualquer escola pode nos procurar para manifestar este desejo. Enviamos um total de 10 escolas para o TRE-MT, para avaliarem a capacidade de atendimento da Justiça Eleitoral e do Programa Voto Consciente.  Enquanto secretaria, nós percebemos a importância de fazer com que os alunos conheçam todo o processo eleitoral. Eles vão entendendo a legitimidade desta ação, do voto, debatem assuntos como moralidade, ética, e isso contribui muito para o crescimento da criticidade do aluno, fazendo com que eles se tornem cidadãos atuantes de fato”. 
 
Uma das professoras que trabalhou no Programa, coordenando as ações na Escola Liceu Cuiabano, foi Francine Bianca Florentino. “Hoje, com todos falando sobre corrupção, os alunos recebem o entendimento de que a política é algo ruim! A partir do momento que eles têm esse contato com a Justiça Eleitoral, de poder vir ao TRE, de ver como que funciona todo o sistema eleitoral, eles compreendem que a política de fato é a democracia, que ela é feita pelas pessoas. Então eles começam a ter uma outra visão, se engajaram, e percebem a responsabilidade do cidadão”
 
Uma das maiores responsáveis pelo sucesso do projeto, a secretária da Escola Judiciária Eleitoral, Janis Nakahati, explicou que o envolvimento destes jovens tem causado uma renovação no cenário político. “Nós temos fomentado nesses jovens o envolvimento com política desde 2011, incentivando a participação deles no processo político-eleitoral. A política está em constante renovação por isso precisa da energia e  da ambição dos jovens. Existe muita repulsa com a política devido os casos de corrupção que são constantemente divulgados, mas o caminho é se aproximar ainda mais, e não repelir o problema. A política  existe e é perene em nossa vida”.
 
Em 2019, participaram do Voto Consciente as escolas Estaduais Liceu Cuiabano Maria de Arruda Müller,  Júlio Strubing Müller, Leovegildo de Melo, Maria Leite Marcoski, José Magno. Cada escola fez uma apresentação artística ao final da cerimônia.
 
 
O Programa Voto Consciente é coordenado pela Escola Judiciária Eleitoral, que venceu o Concurso de Boas Práticas, na categoria Fortalecimento da Cidadania Democrática, no VII Encontro Nacional das Escolas Judiciárias no ano de 2017. Dentro do projeto são realizadas eleições parametrizadas, visitas guiadas ao TRE-MT, vivência das etapas do processo eleitoral, palestras de sensibilização aos jovens estudantes para participarem do processo político do País e, ainda, o alistamento eleitoral de estudantes em escolas públicas e particulares.

Últimas notícias postadas

Recentes