Juiz Paulo Sodré encerra biênio como substituto do TRE-MT

Paulo Sodré participou de 49 sessões plenárias, recebeu em distribuição 104 processos, proferiu 136 decisões monocráticas e 19 decisões colegiadas

Despedida

A sessão plenária do Tribunal Regional Eleitoral de Mato Grosso (TRE-MT) desta quinta-feira (22.08) foi marcada pela emoção durante uma homenagem feita ao juiz federal, Paulo Sodré. Ele encerrou seu biênio como juiz membro substituto. Ao longo de sua história na Justiça Eleitoral, iniciada ainda no ano de 2011, o magistrado já ocupou a titularidade do Pleno, foi Diretor da Escola Judiciária Eleitoral, Juiz da Propaganda Eleitoral, entre outras funções.

Somente neste último período como juiz substituto, a partir de 22 de agosto de 2017, Paulo Sodré participou de 49 sessões plenárias, recebeu em distribuição 104 processos, proferiu 136 decisões monocráticas e 19 decisões colegiadas, contribuindo para redução do estoque de processos na Justiça Eleitoral.

“O doutor Paulo Sodré sempre trouxe para o colegiado votos em questões complexas, estas analisadas de maneira profunda, sempre utilizando de seus saberes que vão além do direito eleitoral. Sua capacidade técnica contribuiu muito para o colegiado do TRE-MT. Ele tem a capacidade de agregar. Representando a instituição, o doutor sempre teve claro o seu papel, com uma postura irrepreensível. Quero agradecer ao senhor pelos trabalhos prestados a esta justiça especializada”, destacou a juíza federal membro do Pleno, Vanessa Curti Gasques.

Representando a Ordem dos Advogados do Brasil Mato Grosso, o advogado Antônio Cassiano de Souza falou sobre o tratamento ofertado pelo magistrado aos advogados. “Sempre fomos bem recebidos. Trata-se de um magistrado que ouve com atenção o que é dito, que mantem a firmeza sem perder a gentileza. A decisão contrária faz parte, uma das partes tem que sair vencedora, mas é necessário a correta explicação e atenção ao advogado, e isso vossa excelência faz muito bem. Parabenizo o senhor em nome toda a advocacia de Mato Grosso”.

“Eu cresci muito neste período. Já se disse que todo juiz deveria começar no colegiado para depois se tornar juiz sozinho, monocrático. Há um engrandecimento como pessoa, como cidadão, o contato com a advocacia é diferenciado aqui no Tribunal, a entrega de memoriais é muito mais rica. Consegui ter um bom trabalho graças a toda a estrutura qualificada de servidores do Tribunal que me ajudaram. Saio com uma sensação de dever cumprido. Adquiri muito conhecimento aqui”, destacou o homenageado, juiz Paulo Sodré.

Para o presidente do TRE, desembargador Gilberto Giraldelli, a saída do magistrado deixa um vazio na Justiça Eleitoral. “Já era um admirador de longa data do trabalhado que vossa excelência desenvolvia e desenvolve pera a Justiça Federal quando o conheci pessoalmente. Admiro o longo tempo que atuou na Justiça Eleitoral, pelo seu brilhantismo em todas as fases do trabalho nesta especializada, uma trajetória bonita e marcante. Vossa excelência é citado inúmeras vezes em votos de nossos colegas, e isso é pelo expressivo conhecimento técnico que apresenta em suas decisões e votos, pelo marcante senso de Justiça. Sua capacidade de agregação é algo que passa, que sentimos, tenho uma frustração de trabalhar pouco tempo com vossa excelência”.

Ainda prestaram suas homenagens o desembargador corregedor Eleitoral do TRE, Sebastião Barbosa Farias, o juiz membro Luís Aparecido Bortolussi, e o juiz membro Antônio Veloso Peleja.   

Matéria Daniel Dino

Assessoria TRE-MT

Últimas notícias postadas

Recentes