32ª Zona Eleitoral criará três novas seções eleitorais para atender eleitores de 17 aldeias indígenas

Para cadastramento dos eleitores, a equipe da Justiça Eleitoral com apoio de servidores da Prefeitura de Marcelândia percorrerá, de 11 a 13 de junho, as 17 aldeias.

TRE-MT 32 ZE

A 32ª Zona Eleitoral criará três novas seções eleitorais para atender eleitores indígenas, que residem em aldeias situadas nas fronteiras dos municípios de Marcelândia e Feliz Natal. As novas seções eleitorais serão instaladas possivelmente nas Aldeias Sobradinho, Três Patos e Tuba Tuba e funcionarão a partir das Eleições de 2020. A iniciativa beneficiará ainda eleitores de 14 aldeias indígenas, que estão situadas nas proximidades das aldeias contempladas com as seções eleitorais.  

 

Para cadastramento dos eleitores, a equipe da Justiça Eleitoral com apoio de servidores da Prefeitura de Marcelândia percorrerá, de 11 a 13 de junho, as 17 aldeias. Na oportunidade, os indígenas poderão fazer alistamento, transferência e revisão de dados. O funcionamento dos mutirões foi definido nesta terça-feira (21), durante reunião entre servidores da 32ª ZE e representantes da prefeitura e da Fundação Nacional do Índio.

 

“Essas aldeias são de difícil acesso. Precisamos percorrer 200 km de estradas sem asfalto, muito ruins, até o ponto de barco. Depois são necessárias horas de barco para chegar aos eleitores. Este é o caminho que eles fazem para poder votar, geralmente precisam ir até a cidade no dia anterior à eleição. Com estas seções vamos facilitar muito o acesso destes indígenas ao exercício do voto”, destacou o juiz da 32ª Zona Eleitoral em substituição, Rafael Siman Carvalho.

 

Para o secretário chefe de gabinete da Prefeitura de Marcelândia, Paulo Maciel, a questão logística sempre dificultou a participação da população indígena nas eleições. “Este é um desejo desde de 2013 da prefeitura e da população. Vai facilitar muito a vida dos eleitores indígenas e ajudar a prefeitura na questão de logística, já que as distâncias são enormes, com muito transporte de barco. É a melhoria no atendimento à população indígena para que eles possam exercer sua cidadania”.

 

Representando a Coordenação Regional do Xingu (Funai), Alupa Kaiabi, falou da vontade dos eleitores em participar do pleito em maior número. “Certamente mais pessoas vão votar, escolher os representantes, e até mesmo concorrer aos cargos eletivos. Com a urna perto de casa, em aldeias próximas, poderemos votar com mais tranquilidade, assim como todos os brasileiros”.

 

O chefe de Cartório da 32ª Zona Eleitoral, Valdiney Rondon Maidana Gomes, ressaltou que mesmo diante da dificuldade de locomoção, os eleitores indígenas têm buscado exercer o direito ao voto e participar do processo democrático. “Nas eleições de 2018, 200 eleitores indígenas das aldeias foram até Marcelândia para votar. Queremos tornar mais fácil e seguro o exercício desse direito”.

 

Matéria Andréa Martins Oliveira e Daniel Dino

Assessoria TRE-MT

 

Siga as mídias do TRE-MT

        facebook /   Flickr  / Twitter  / Instagram

Últimas notícias postadas

Recentes