Corregedor se reúne com equipe para discutir formas de alavancar a revisão do eleitorado que acontece em 26 municípios

nessas cidades, acontece a Revisão do Eleitorado com coleta de dados biométricos e a procura pelo atendimento está abaixo do esperado, fato que preocupa a Justiça Eleitoral

Pedro Sakamoto

O corregedor regional eleitoral de Mato Grosso, desembargador Pedro Sakamoto se reuniu com representantes de diversas unidades do Tribunal para traçar ações estratégicas, que resultem no aumento diário de cadastramento biométrico nos 26 municípios do Estado. Nessas cidades, acontece a Revisão do Eleitorado com coleta de dados biométricos e a procura pelo atendimento está abaixo do esperado, fato que preocupa a Justiça Eleitoral. A revisão vai até o dia 29 de março e após essa data, todos os eleitores que não atenderam à convocação terão o título cancelado.

 “Fazer a revisão não é uma escolha para o cidadão/eleitor, mas uma obrigatoriedade. Este procedimento é fundamental para fazermos a atualização do nosso cadastro. Por isso, pedimos aos eleitores desses municípios que compareçam ao cartório. O procedimento vai até 29 de março e reafirmo: não haverá prorrogação. A zona eleitoral do município que não atingir a revisão de pelo menos 70% de seu eleitorado, corre o risco de ser extinta ou remanejada para outro município”, ressaltou o corregedor.

 Durante a reunião com representantes da presidência, corregedoria, diretoria geral e das áreas de planejamento, informática e comunicação, o corregedor ressaltou que já esteve pessoalmente no município de Sapezal no dia 04 deste mês, quando em reunião com o prefeito, o presidente da Câmara Municipal, o juiz eleitoral, o promotor eleitoral e o representante da OAB, pediu apoio para aumentar no município, o percentual de eleitores biometricamente cadastrados. “O prefeito se prontificou a nos apoiar e cedeu 12 servidores. Nos dias 11 a 13 deste mês visitarei os municípios de Alta Floresta, Colíder, Peixoto de Azevedo, Guarantã do Norte e Cláudia. Em todas essas cidades farei reuniões com diversas autoridades, buscando o mesmo apoio que obtive em Sapezal”.

 Ficou definido com a equipe do Tribunal que o corregedor irá visitar pessoalmente alguns municípios em busca de apoio de outras Instituições públicas, e que os servidores que atuam nas revisões serão autorizados a laborar com carga horária estendida. Também foi levantada a hipótese de abertura dos postos de atendimento nos finais de semana, no entanto, essa possiblidade será reavaliada diante do aumento da demanda nos dias úteis.

 

Panorama:

 

Dos 26 municípios em revisão os que possuem o percentual de eleitores cadastrados biometricamente abaixo de 20% estão: Guarantã do Norte (8%), Sapezal (14%), Nova Xavantina (15%), Cláudia (15%), São José do Rio Claro (16%), Barra do Bugres (16), Peixoto de Azevedo (18%), Campo Novo do Parecis (19%), Araputanga (19%).

 Nos demais municípios a revisão atingiu as seguintes percentagens: Alto Araguaia (67%), Mirassal D’Oeste (42%), Sorriso (41%), Diamantino (38%), Cáceres (37%), Barra do Garças (35%), Tangará da Serra (35%), Arenápolis (34%), Alta Floresta (34%), Poxoréu (29%), Vera (29%), Guiratinga (28%), Água Boa (27%), Pedra Preta (25%), São José dos Quatro Marcos (24%), Canarana (23%) e Colíder (21%).

 Os eleitores desses municípios devem procurar a Justiça Eleitoral até 29 de março para fazer a revisão com cadastro biométrico. Para o atendimento é necessário apresentar um documento oficial de identificação e comprovante de residência. Mais informações como horário e local de atendimento estão disponíveis no site www.tre-mt.jus.br. Acesse o link: http://www.tre-mt.jus.br/eleitor/biometria

 

 

Jornalista: Andréa Martins Oliveira

 


Curta a página do TRE-MT no facebook

Acesse o TRE-MT no Flickr 

Acompanhe o TRE-MT pelo Twitter

Siga o TRE-MT no Instagram


Últimas notícias postadas

Recentes

TRE-MT institui Código de Ética dos servidores

Será instituído um Conselho Permanente de Ética, que atuará como órgão consultivo, afim de dirimir eventuais dúvidas acerca da aplicabilidade do Código a casos concretos e existência de conflito de interesses.